PE: Polícias Civil e Científica anunciam concurso para 966 vagas

Compartilhe:

Remuneração varia de R$ 3.276,42 a a R$ 9.069,81, de acordo com o cargo (Foto: Analice Diniz)

Regras estarão disponíveis no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (5), inscrições vão custar entre R$ 160 e R$ 200 de acordo com a categoria

A Secretaria de Defesa Social (SDS) anunciou, no início da tarde desta segunda-feira (4), o concurso para as Polícias Civil e Científica de Pernambuco. Ao todo, serão 966 vagas distribuídas entre 100 delegados, 500 agentes, 50 escrivães, 40 médicos legistas, 56 peritos criminais, 51 peritos papiloscopistas, além de 169 auxiliares. O edital será publicado nesta terça-feira (5) no Diário Oficial (DO). A divulgação do concurso veio seguida do anúncio do novo código penitenciário, que sairá na mesma edição do DO.

Para se candidatar a uma vaga nas Polícias Civil e Científica será necessário preencher os requisitos do edital. Cada vaga apresenta um perfil diferenciado, mas todas exigem diploma superior reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e Carteira Nacional de Habilitação (CNH), no mínimo B. A remuneração varia de R$ 3.276.42 a R$ 9.069.81. A inscrição, que deve ser feita por meio do portal da banca organizadora, será no valor de R$ 200 para delegado de polícia, médico legista e perito criminal. Custará R$ 160 para os cargos de agente, escrivão, perito papiloscopista, auxiliar de perito e auxiliar de legista.

A seleção terá duas etapas. A primeira contará com cinco fases:  haverá provas de conhecimentos até investigação social. A segunda etapa consiste na realização do Curso de Formação Profissional na Academia Integrada de Defesa Social, com duração média de cinco meses.

Após a posse, os novos servidores terão uma jornada de trabalho de 8 horas diárias ou 40 horas semanais, ressalvadas as especiais (em regime de plantão) que observarão a proporcionalidade limite de uma hora de trabalho, para três de descanso.

O concurso será organizado pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe). De acordo com o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, da data da publicação até o resultado final dos exames, deve demorar cerca de um ano e meio para esse efetivo estar nas ruas de Pernambuco. “Um ano do processo desde o edital até o resultado, mais, pelo menos, quatro meses de curso. Então, arredondamos para um ano e seis meses”, explicou.

Apesar da demora em, de fato, aumentar a presença policial no estado, o secretário acredita que o anúncio é um grande passo para o momento delicado da segurança pública em Pernambuco. “Mesmo com a crise que nós temos no país, mesmo com a queda de receitas, havendo essa necessidade de mais policiamento o edital foi sancionado”, ponderou.

De 1º de janeiro a 28 de março, ocorreram em Pernambuco 1.031 homicídios. “A cada semana, nos reunimos para entender onde houve mais homicídios, se há um crescimento e entender qual a motivação. Com esses dados nós montamos um esquema que pode funcionar num mês e no outro não. Eles [criminosos] correm e nós corremos atrás. Nosso efetivo não é infinito. Nós temos que distribuir da melhor forma possível”, completou o secretário.

Carvalho também comentou o episódio ocorrido no último sábado (2), quando uma turista foi esfaqueada durante um assalto nas proximidades do Porto do Recife, após desembarcar de um navio. O secretário afirmou que já determinou ao comando da Polícia Militar que reforce o policiamento e a inteligência na área para que os suspeitos sejam capturados.

Mais segurança
A previsão é que, pelos próximos seis meses, os presídios de segurança máxima do estado instalem bloqueadores de celulares. De acordo com o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, a iniciativa faz parte de uma disciplina mais rígida adotada pelo estado a partir deste momento.

“O código antigo datava de 1978. Um código de 40 anos para você administrar uma situação grave como o sistema prisional é complicado. O preso é detentor de diretos, mas é preciso garantir disciplina e segurança. Esses são pilares que precisam nortear um comportamento”, ponderou Eurico.

Os aparelhos serão alugados, não comprados. O secretário justifica a decisão pela rapidez com que a tecnologia evolui. A iniciativa visa tentar diminuir os desenfreados casos de mortes e fugas dentro dos presídios, além da comunicação com o crime fora dos muros. “Não podemos mais conviver com pessoas lutando com facas dentro dos presídios”, completou.

Entre os temas tratados apresentados na nova Lei estão a regulamentação de visitas nas unidades prisionais, de processos disciplinares e dos critérios de avaliação das condutas. “Nós precisamos otimizar todos os instrumentos de segurança do Estado para reduzir os padrões atuais. O código era de 1978 e naquela época não existia computador, telefone celular, Internet e não existia a Constituição de 1988. Essa revisão teve a participação de várias instituições ligadas à sociedade civil e aos sindicados. Todos trabalharam na elaboração do código buscando três princípios: direitos dos presos, disciplina e segurança. Esses são os pilares que norteiam código”, detalhou o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico.

G1 Pernambuco

Compartilhe:

blog lam dep | toc dep | giam can nhanh

|

toc ngan dep 2016 | duong da dep | 999+ kieu vay dep 2016

| toc dep 2016 | du lichdia diem an uong

xem hai

the best premium magento themes

dat ten cho con

áo sơ mi nữ

giảm cân nhanh

kiểu tóc đẹp

đặt tên hay cho con

xu hướng thời trangPhunuso.vn

shop giày nữ

giày lười nữgiày thể thao nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thonmau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcmphụ kiện thời trang giá rẻ